Chuvas podem voltar em Lajedinho e na Chapada, aponta INMET

 Pode voltar a chover na região próxima ao município de Lajedinho, assim como em toda a Chapada Diamantina, segundo previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) informada nesta segunda-feira (9). A cidade ficou parcialmente destruída após o forte temporal que causou enxurrada na último sábado (7), deixando 16 mortos e cerca de 200 famílias desabrigadas.

Segundo o INMET, a chuva forte e rápida que atingiu o município não é comum nas proximidades do verão, mas pode ocorrer em pontos isolados, principalmente após longo período de estiagem seguido de elevação na temperatura.
 
A previsão também aponta que forte chuva com rajadas de vento deve atingir o Oeste do estado, que entra agora no seu período chuvoso. Nas demais regiões, o tempo permanece dublado ou parcialmente nublado.
Vítimas
Oito das 16 vítimas do temporal são da mesma família, informam o prefeito Antônio Mário Lima e a Defesa Civil, nesta segunda-feira (9). 12 pessoas foram identificadas. Um morador permanecia sumido até as 17h.

Reconstrução
O governador da Bahia, Jaques Wagner, e o ministro da Integração Nacional, Francisco José Coelho Teixeira, estão em Lajedinho, na tarde desta segunda, para acompanhar de perto os estragos e os resgates. O prefeito Antônio Mário Lima informa que o governo vai apoiar a reconstrução de mais de 200 casas na parte alta da cidade, que fica fora da área de risco, às margens do Rio Saracura.
 
"Estamos estudando a possibilidade de tirar as famílias das áreas de risco. Temos em torno de 200 e poucas casas para levantar em regime de urgência. 202 familias tiveram problemas, perda total. Na margem do rio, todo mundo foi afetada. São poucas casas que poderíamos recuperar, mas todas estão comprometidas, queremos tirar todo mundo de lá", afirma o prefeito.
 
O centro de Lajedinho foi destruído com as chuvas, área onde está localizada a maior parte do comércio, além da prefeitura e suas secretarias. "É a parte mais antiga da cidade, tem praças, secretarias. 70% a 90% do comércio foi prejudicado. Estamos vendo como ajudar também esse pessoas. São pequenos comerciantes, que perderam tudo", relata.
 
Desabrigados
As famílias desalojadas estão abrigadas em escolas municipais e recebem assistência como a alimentação, roupas e cobertores. Os corpos foram localizados a cerca de 30 km do local, nas proximidades da cidade de Ruy Barbosa. As equipes de buscas foram são compostas por 28 bombeiros e 12 voluntários. Moradores relataram que o nível da água chegou a 2 metros de altura.
 
Chuvas
Segundo a Defesa Civil, choveu em 2 horas cerca de 120mm. O imóvel da Prefeitura de Lajedinho também foi atingido pela enxurrada, diversos equipamentos e documentos foram destruídos. A sede da Assistência Social também foi afetada. [Veja no vídeo ao lado as imagens aéreas da cidade de Lajedinho]
 
Assistência
A Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) informou que a equipe de Vigilância Epidemiológica de Lajedinho atua na cidade. Funcionários da saúde, veículos e medicamentos da cidade de Itaberaba são disponibilizados para a população de Lajedinho.
 
Segundo a Sesab, a secretaria aguarda a lista de remédios que serão solicitados pela prefeitura para encaminhar os medicamentos para a população afetada. Moradores de cidades vizinhas também doam roupas, água e mantimentos para abastecimento dos desabrigados. O Tribunal de Justiça da Bahia também arrecada doações.
 

Comentários

    Não há comentário

Comentar

REVISTA DIGITAL

revistaCG

TV CARO GESTOR

TVCG