Amélia Rodrigues comemora meio século de história

O município de Amélia Rodrigues à 89 Km de Salvador, comemora hoje 50 anos de emancipação política. Criado em 1961 e desmembrado de Santo Amaro. Em 1622 os beneditinos construíram o engenho São Bento de Inhatá, primeiro ponto povoado da região.

Em 1702, no local da sede municipal, mais tarde denominado Marucá, edificou-se a capela de Nossa Senhora da Lapa, formando-se o povoado Lapa, o qual desenvolveu-se em função da cultura da cana-de-açúcar. O arraial passou à sede de distrito em 1936, integrando o município de Santo Amaro. Em 1944, teve seu nome mudado para Traripe e em 1961 para Amélia Rodrigues, em homenagem à educadora e poetisa ali nascida.
 
Composta por apenas dois distritos e tendo a atividade açucareira como principal economia, Amélia Rodrigues tem na cultura da mandioca, na fabricação de licores de frutas (tipo exportação) e na floricultura, outras grandes potencialidades capazes de impulsionar a economia local e da região. A cidade vem se destacando como potencial produtor de flores.
 
Diversas atividades foram programadas para o cinquentenário do município, exibição do Documentário Rememorando a Emancipação Política da Cidade, Exposição iconográfica: Amélia Rodrigues – História Contada em Fotos, Seminário cinquentenário nas escolas, além da II Feira do Aipim e das Flores Tropicais, I Cavalgada Memória de Amélia Rodrigues e shows com as bandas Harmonia do Samba e Adão Negro.
 

Comentários

    Não há comentário

Comentar

REVISTA DIGITAL

revistaCG

TV CARO GESTOR

TVCG