Cachoeira vai comemorar 175 anos de autonomia

 No próximo dia 13 de março, a cidade de Cachoeira, no Recôncavo baiano, distante 110 km de Salvador, completa 175 anos. Para celebrar a data a prefeitura municipal, através da Secretaria de Cultura e Turismo do município preparou uma vasta programação com shows ao ar livre nos dias 10 (sexta) e 11(sábado). A Câmara de Vereadores também presta homenagem ao aniversário da elevação de Cachoeira, à categoria de cidade com a realização de sessão solene, às 9h.

A cidade é famosa pelo seu rico patrimônio histórico, artístico, cultural e paisagístico. A cultura e a religiosidade de seu povo também fazem de Cachoeira um local de destaque no cenário nacional. A Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte composta exclusivamente por mulheres negras é conhecida no mundo inteiro pelas suas características peculiares e como símbolo de resistência do povo negro. São famosas também as suas festas do São João, em junho, e a de Nossa Senhora da Ajuda no mês de novembro. O samba de roda é uma marca da cultura popular da cidade com os seus diversos grupos mantendo a tradição nascida nos terreiros das casas de engenho. Cidade de herois, intelectuais e de grandes artistas, a exemplo de seus escultores.
 
Cachoeira nasceu às margens do Rio Paraguaçu, no século XVI, quando os engenhos de cana de açúcar começaram a ser instalados na região do Recôncavo. Antes da colonização, era habitada por tribos indígenas. Seu desenvolvimento teve início a partir da primeira metade do século XVII. Esta evolução está vinculada aos colonizadores Paulo Dias Adorno e Rodrigues Martins, donos da terra em que fora assentada a povoação que deu origem a cidade. O entorno da atual capela de Nossa Senhora d’Ajuda, construída no engenho da família Adorno, sob invocação de Nossa Senhora do Rosário, é considerado o marco inicial da povoação, que em 1674 foi convertida em freguesia.
 
Em 1698, a então freguesia alcança a categoria de vila com denominação de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira. Com a expansão da economia açucareira e da atividade comercial, a vila prosperou principalmente nos séculos XVII e XVIII, quando se construíram belas casas, igrejas e conventos, valiosas peças da arquitetura da influência barroca.
 
A cidade Heroica e Monumento Nacional mantém - se como um museu, testemunho vivo da história de uma grande nação. A paisagem natural é exuberante. A arquitetura é histórica, eclética e majestosa. A sua população retrata diversas contribuições culturais de várias épocas, do colonial ao contemporâneo, passando pelas influências dos povos do continente africano que se destacam em inúmeros aspectos.
 
Graças à sua localização privilegiada, na fronteira entre as regiões do Recôncavo e Sertão, atingiu expressiva prosperidade. Para ela, convergiam duas importantes vias: A Estrada Real do Gado, que atingia a zona de criação de gado e as barrancas do rio São Francisco, e a estrada das Minas, partindo da vizinha São Félix se dirigiam à Chapada Diamantina, Minas e Goiás. Como ponto de transbordo das vias fluvial e terrestre transformou-se em empório de uma vasta região. Durante o século XVIII, experimentou grande desenvolvimento, quando era alto o preço do açúcar e abundante o ouro do Rio de Contas.
 
Já consolidada como vila de maior importância da Província, Cachoeira projetou-se também na história política do Brasil, pelas lutas da Independência da Bahia, em 1822. Antes da consolidação da Independência da Bahia, o povo da Vila de Nossa Senhora do Rosário do Porto da Cachoeira do Paraguaçu, levantou-se contra jugo português, e no dia 25 de Junho de 1822 declara-se território livre do Portugal, aclamando Dom Pedro, Príncipe Perpétuo Regente do Brasil.
 
Em 13 de março de 1837, por meio de decreto provincial, Cachoeira foi elevada à categoria de cidade com a denominação de Heróica Cidade da Cachoeira - Lei Nº. 43, assinada pelo então presidente da Província da Bahia, Francisco de Souza Paraízo. Pelo seu conjunto arquitetônico e paisagístico, recebeu o título de Monumento Nacional, através do Decreto Presidencial N°. 68.045 de 18 de janeiro de 1971.
 
Confira a programação do aniversário de Cachoeira:
 
PROGRAMAÇÃO DO 13 DE MARÇO – ANIVERSÁRIO DE CACHOEIRA
 
DIA 10/03/2012 ( QUINTA – FEIRA )
 
20H – AXÉ MAIS
22H – HELIO E JÚNIOR
00H – SAIDDY BAMBA
02H – SINE CALMON
11/03/2012 ( SEXTA-FEIRA)
14H – SAMBA DE CRIOLO
16H – PARTIDO.COM
18H – VIBRA SAMBA
20H – LEVA NOIZ
22H – TUCA FERNANDES ( EX JAMIL E UMA NOITES )

Comentários

    Não há comentário

Comentar