Doze municípios baianos comemoram emancipação

 Nesta quarta-feira, dia 09 de maio, doze municípios baianos comemoram suas emancipações políticas. São as cidades de Maetinga, Buritirama, Pintadas, Lapão, Teixeira de Freitas, Nordestina, Filadélfia, Rafael Jambeiro, Jussari, Arataca, Barro Preto, Capim Grosso que completam seus 27 anos. Maetinga possui inúmeras nascentes ou os chamados "brejos do sertão" que nascem por um afloramento de um lençol freático presente na região, não é atoa que o local antes se chamava Olho D`água, pois possuía e possui várias minações d`água, onde a àgua brota da terra. Buritirama é vocábulo indígena que significa "parecido com o buriti". Localizado na região Oeste da Bahia, distante 759 quilômetros de Salvador, o município de Buritirama comemora sua festa de emancipação política a partir de 1985, desmembrado de Barra. Missa, hasteamento de bandeira, desfile cívico contando a história da localidade são lembrados com tradição.

Outra aniversariante, a cidade de Pintadas é hoje, um exemplo prático dos benefícios do cooperativismo e associativismo comunitário. A localidade caracteriza-se por ser um município de perfil econômico primordialmente voltado para a agropecuária. Já a cidade de Lapão, conta a lenda, que em 1900, um caçador em suas andanças pelas terras que hoje formam a cidade, deparou-se com uma frondosa gameleira branca e notou que por ali existiam muitos juritis, além de outras aves, entrando e saindo de uma enorme lapa (gruta) por onde corria um lenço de água, tendo então denominado a área de “gruta do Lapão”, a qual acabou encurtando e emprestando o nome a localidade. Teixeira de Freitas teve sua origem em consequência do grande volume de madeira de lei existente na região, o que proporcionou a formação de casas, criando assim, o povoado, denominado São José de Itanhém, por ficar próximo à margem esquerda do rio Itanhém. O nome era inicialmente Arrepio, que depois se tornou São José do Itanhém e finalmente, em 1957, Teixeira de Freitas, em homenagem a Mário Augusto de Teixeira de Freitas, fundador do IBGE.
 
Também no mesmo dia o município de Nordestina comemora sua autonomia política. O principal elemento que compõe sua hidrografia é o Rio Itapicuru. A agricultura é praticada em propriedades de pequeno, médio e grande porte, tendo a produção de sisal como um principal produto na agricultura local. O comércio é bastante diversificado e atende às necessidades da população local. Filadélfia é palavra grega que significa irmãos que se amam. O município é um dos principais produtores de feijão do estado. Na cidade é comum a chimbeca, uma carne de bode constituída praticamente de nervos e músculo (e por isso muito barata). Rafael Jambeiro localizado na região do Paraguaçu, o município foi habitado pelas tribos indígenas dos Paiaiás, Sabujás e Cariris, seguida pelos colonizadores portugueses na Fazenda Saco, em seguida Fazenda Olhos D´Água. Teve entre os filhos mais ilustre o médico Rafael Jambeiro.
 
Jussari teve esse nome devido à região possuir bastante palmeira de juçara (nome de origem indígena, rio das palmeiras jussaras), que tinha grande utilidade para a população na confecção de portas, coberturas de casas, e fabricação de remédios. Arataca é banhado pelo Rio Aliança, que nasce na Serra do mesmo nome. Este rio fornece água para abastecimento da população de Anuri e Arataca, além de servir também à população da cidade vizinha. Em todo seu leito existem lindas cachoeiras, destacando-se a queda d’água denominada A Pancada. A Serra das Lontras aparece como uma área de impressionante beleza, guardando espécies típicos da vegetação da Mata Atlântica. Barro Preto originalmente era um distrito de Ilhéus, chamado então de Limoeiro. Mais tarde o distrito passou a pertencer a outro, chamado Morro Redondo, passando a se chamar Barro Preto. Com a lei estadual nº 2449, de 10 de abril de 1967, Barro Preto passou a chamar-se Governador Lomanto Júnior, em homenagem ao ex-governador do estado Lomanto Júnior, cuja vigência dependia da promulgação da divisão do Estado da Bahia. No entanto, pelo parecer da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais do estado da Bahia, órgão responsável pela divisão territorial do estado, o município de Governador Lomanto Júnior voltou a denominar-se Barro Preto.
 
Para encerrar os aniversariantes do dia, temos o município Capim Grosso cujo topônimo teve origem a partir de uma lagoa com o mesmo nome, situada próximo ao trevo da cidade. A localidade conta com o distrito de Pedras Altas e os povoados de Caiçara e Peixe. Localizado na região norte da Bahia (região de Jacobina), Capim Grosso tem sua economia centrada na agropecuária e os principais produtos cultivados são a mamona, feijão, milho, mandioca e sisal.

Comentários

    Não há comentário

Comentar

REVISTA DIGITAL

revistaCG

TV CARO GESTOR

TVCG