Em Roma, Diretor da WFP destaca a alimentação escolar como estratégia essencial no combate à fome no mundo

Segunda-feira, 15 de Outubro de 2018
Fonte: FNDE - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação
Crédito da Foto: FNDE - Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

A cerimônia de abertura da 45ª Sessão Plenária do Comitê de Segurança Alimentar Mundial (CSA), que aconteceu nesta segunda-feira, 15, na sede da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura – FAO/ONU, em Roma, na Itália, trouxe como tema central o combate à fome no mundo, num evento que reúne mais de 140 países de todos os continentes. O destaque para o Brasil, em parceria com a FAO e o Centro de Excelência contra a Fome, foi para a colaboração na evolução dos processos de implementação e aprimoramento dos programas de alimentação, por meio do Programa de Alimentação Escolar brasileiro (PNAE), que mantém projetos na cooperação sul-sul trilateral, envolvendo 13 países da América Latina e Caribe e 33 países da África e Ásia.

Durante a abertura, o diretor-geral do Programa Mundial de Alimentos/WFP, David Beasley, destacou o valor da alimentação escolar na construção do enfrentamento à fome ao redor do mundo. “Toda criança tem o direto à alimentação e o nosso desafio é construir formas de como enfrentar os obstáculos que envolvem esta questão, que é crucial não só para o desenvolvimento humano mas, também, para alcançarmos a paz mundial. Como política efetiva, destaco o trabalho desenvolvido pelos programas nacionais de alimentação escolar, por exemplo, que têm sido um dos canais essenciais para este enfrentamento”, destacou Beasley, acrescentando o esforço na construção das estratégias de colaboração discutidas na Sessão como “mola propulsora para salvar a vida de milhões de pessoas que ainda padecem ao redor do mundo”.

A agricultura familiar, que no Brasil é fortemente fomentada pelo PNAE – gerido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) – e exige que ao menos 30% de todos os recursos repassados pelo Governo Federal sejam investidos para este fim, também foi pauta no discurso do diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura da FAO, José Graziano. “A agricultura familiar tem uma profundidade extraordinária em países que decidem investir na agricultura sustentável. Nesse sentido, os países que decidem pelo incentivo a esta política fomentam uma plataforma internacional que impulsiona a sustentabilidade no mundo”. Grazianno acentuou ainda que este é um espaço para reforçar a ação dos governos que já trabalham esse fomento em suas políticas públicas locais e acrescentou o compromisso da FAO na construção de um CSA forte para debater temas importantes e fomentar o intercâmbio de conhecimento e desenvolvimento de capacidades com vistas ao compartilhamento de experiências.

O ministro do Desenvolvimento Social do Brasil, Alberto Beltrame, que também participou da abertura oficial do CSA, destacou programas brasileiros que trabalham o enfrentamento à fome. “O Brasil tem trabalhado de forma intersetorial e participativa na construção de um sistema alimentar mais saudável, desde a produção dos alimentos até o seu consumo final”. Beltrame destacou em seu discurso os papéis do Bolsa Família e do PNAE como políticas nacionais estruturantes. “O Bolsa Família e o PNAE são programas internacionalmente reconhecidos por terem, além do caráter social inclusivo, ferramentas eficazes no combate à fome. O PNAE, por exemplo, atende mais de 41 milhões de alunos de escolas públicas todos os dias. Ele trabalha ainda fortalecendo a agricultura familiar e colaborando para o atingimento do desafio proposto pelo ODS 2, erradicando a fome e combatendo todas as formas de má nutrição, inclusive a obesidade. O ministro destacou ainda que o Brasil tem direcionado grandes esforços para políticas de combate à fome e à pobreza e se colocou à disposição dos demais países para o compartilhamento de experiências.

O CSA

O Comitê de Segurança Alimentar Mundial (CSA) existe desde os anos de 1970 e, em 2009, em decorrência da severa crise mundial de alimentos, que jogou para debaixo da linha de desnutrição milhões de pessoas no mundo, passou por um profundo processo de reforma. O Brasil teve papel de destaque nessa transformação e o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) serviu de inspiração para o modelo inédito do Comitê da ONU.

O CSA coordena uma visão global de segurança alimentar e nutricional, promovendo convergência de ações em âmbitos nacional, regional e global, apoiando países e regiões, prestando contas e intercambiando boas práticas, que buscam desenvolver um marco estratégico que seja inclusivo e participativo.

Para saber mais sobre o CSA, é só acessar www.fao.org/cfs/cfs45

Comentários

    Não há comentário

Comentar