Começa Conferência Mundial de Clima e Territórios

Agência Brasil | 30/06/2015
Começa Conferência Mundial de Clima e Territórios

 No dia primeiro de julho governos locais em reúnem em Lyon (França) na Conferência Mundial de Clima e Territórios, para discutir a agenda global de mudanças climáticas. O encontro acontece seis meses antes da COP21, que deverá definir um novo acordo para substituir o Protocolo de Kyoto. Prefeitos e outros atores locais terão a oportunidade de discutir previamente o tema, estabelecendo suas prioridades e fazendo suas vozes serem ouvidas na COP21.

 
O objetivo do evento é expor os comprometimentos concretos de atores subnacionais na redução de gases de efeito estufa. É esperado também apresentar aos Estados Partes suas propostas para o novo acordo climático. Temas como planejamento territorial, economia de baixo carbono, cooperação descentralizada, agricultura, mobilidade e financiamento para o clima compõe a agenda. Mais de 800 participantes são esperados no evento em Lyon. Entre eles, mais da metade são autoridades de governos locais.
 
Contribuição da CNM
 
A convite da Comissão Europeia para a Ação Climática e Energia, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) participou do Fórum de Prefeitos da União Europeia no dia 04 de junho em Bruxelas (Bélgica), onde apresentou a visão dos Municípios brasileiros sobre mudanças climáticas e energias alternativas. Além disso, o fórum ressaltou a importância das cidades no estabelecimento de relações entre a Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos e da União Europeia.
 
Como diretor do conselho político da CNM, o prefeito de Cumaru (PE) Eduardo Tabosa representou o presidente Paulo Ziulkoski no fórum. Além de apresentar a visão geral dos Municípios brasileiros, Tabosa destacou que a região nordeste tem sido a região mais afetada no Brasil, principalmente com relação às secas cada vez mais intensas.
 
Ciente de que nenhuma meta nacional pode ser alcançada sem cooperação com os Entes locais, a CNM destacou que é necessário maior diálogo e apoio entre os Entes para que as ações relativas às mudanças climáticas sejam efetivas. Como exemplo, Tabosa citou a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que foi criada sob contexto forte pressão ambiental internacional, porém com prazos e obrigações impossíveis de serem cumpridas para a grande maioria dos Municípios.
 
A CNM enfatiza que é extremamente importante que os governos nacionais, durante a COP21 em dezembro em Paris, não assumam metas que deverão ser cumpridas pelos Municípios sem o real compromisso de apoio técnico e financeiro aos Entes locais.  Nesse sentido, a Conferência Mundial de Clima e Territórios é uma oportunidade para que os governos locais sejam ouvidos.
Tags relacionadas: clima, conferência, municípios
Deixe seu comentário » 0 Comentários: